Pais que matam filhos, filhos que matam pais. Em que mundo vivemos?

Todos os dias, ao chegar ao meu trabalho, o primeiro site de notícias que entro é o G1. Acho o site bem completo e ele me pauta sobre as notícias de economia mais importantes do dia – atitude corriqueira do meu trabalho como jornalista. No entanto, não são as notícias de economia que têm me surpreendido. A alta dos preços dos alimentos em todo mundo, o impacto na inflação aqui no Brasil, os índices econômicos que não param de subir, a interrupção da queda da Selic – seguida de altas consecutivas, além da queda da confiança do consumidor, nada disso me impressiona. Mas me impressiona quando leio notícias de pais matando filhos e filhos que planejam a morte dos pais. Hoje, mais uma vez, a capa do G1 estampa a seguinte manchete: “Bebê morre ao cair do 6º andar no PR”. Segundo a matéria, a mãe, de 41 anos, jogou o bebê de oito meses pela janela.

Ainda é fresca em nossas memórias a morte de Isabella Nardoni (5), supostamente assassinada pelo próprio pai e pela madrasta ao, também, ser jogada do 6º  andar do prédio em que o pai morava. No mês passado, nós vimos nos noticiários que o menino Pedro Henrique (5) morreu envenenado e com várias marcas de violência em seu corpo, desta vez com a mãe e o padrasto como suspeitos do crime. E não pára por aí. Tainá de Campos (18) foi presa na semana passada por ter planejado o seqüestro e a morte da mãe para ficar com seus bens e o seguro de vida (R$ 10 mil). Neste caso, uma testemunha viu o seqüestro e conseguiu avisar a polícia, que libertou a mulher a tempo antes que o “plano fosse cumprido”. Afinal, em que mundo vivemos?! Não consigo compreender qual motivo pode levar a essas pessoas cometerem crimes hediondos como esses. Bem, pra mim, meus pais, meu filho, meu marido, minhas irmãs e sobrinhos… são as pessoas mais importantes e necessárias na minha vida e eu as quero o mais perto possível. Além disso, é um martírio quando qualquer um deles adoece ou quando acontece algo que os deixa tristes. Eu sofro junto. Eu rezo para que Deus os livre de todo mal. Enfim, eu quero todo bem pra eles. A felicidade deles, inclusive, é mais importante que a minha felicidade. Ser família está em primeiro lugar na minha vida. E esse sentimento que eu “carrego” comigo, tenho certeza é o sentimento de muitos filhos e filhas e muitos pais e mães. Aliás, ser mãe me deu a oportunidade de conhecer o amor na sua plenitude. O amor que não espera nada em troca, um amor que só quer amar, proteger, cuidar… Portanto, o que há de errado em nosso mundo?  O que leva essas pessoas a tirar a vida de um ente querido sem antes refletir no ato a ser cometido? Se essa mãe não queria mais o bebê de oito meses, que o tivesse entregado à doação. Conheço tantos casais que esperam ansiosamente na fila da adoção por um bebê. Pais que, inclusive, sofrem por não poderem ter filhos. No caso Isabella, por que o pai não a levou de volta pra mãe e se afastou da criança? Todos nós acompanhamos o sofrimento da mãe de Isabella que não pode ter mais uma vida tranqüila e não consegue mais ter noites alegres, pois, ao chegar em casa, encontra o vazio deixado pela ausência de sua filhinha. Já no caso Pedro Henrique, como uma mãe permite que o padrasto violente seu filho? Por que não deu a guarda para o pai do menino que hoje também sofre sem o filho? Ah… a “jovem” Tainá, que pra mim já tem idade pra ser adulta, merece mesmo uma surra bem dada. Desculpe-me a sinceridade. Nessa idade eu já trabalhava e fazia faculdade. Não tinha tempo pra nada. Inacreditável o que uma mente doentia como essa pode planejar o seqüestro e a morte da mãe por R$ 10 mil. Pela minha mãe eu daria minha vida. Bem… eu já me pronunciei que falta amor nessa sociedade. E, se falta amor, falta Deus. O resultado de uma sociedade sem Deus é isso: pecado. Do pecado surge a destruição, as guerras, o ódio, a cobiça… e tantos outros males. Essa sociedade precisa conhecer a Jesus. E saber que, só com ele e por ele, poderemos mudar todo mal que nos circunda e circunda nossas famílias. Quisera Deus que as pessoas se convertessem e entendessem que a fé leva a mudanças de atitudes. Atitudes como ajudar o próximo e saber que, ali, no lugar do outro, eu poderia estar. Outro dia desses, quando a China passou pelos abalos e, conseqüentemente, pela destruição das cidades, vi uma reportagem que me surpreendeu. O povo chinês é um povo solidário. Vi montanhas de roupas, agasalhos e cobertas sendo doadas, pessoas alimentando umas às outras, voluntários à procura dos desaparecidos. Isso sim é amor. Pena que valeu apenas uma reportagem. Que o Espírito Santo de Deus possa nos ajudar a viver nesse mundo de podridão e desamor. E que a Igreja me abrigue e abrigue meus filhos, mostrando que, pelo menos em um pedacinho do mundo, ainda vale a pena viver.

Tags: , , , , , , ,

9 Respostas to “Pais que matam filhos, filhos que matam pais. Em que mundo vivemos?”

  1. Samantha Says:

    Tb não entendo 😦
    Acho que estamos no mundo errado! Alguém nos leva para outro planeta de paz e amor por favor ?!
    Beijo Sam

  2. Rosana Says:

    Olá vim agradecer e retribuir a visitinha, tambem li a matéria sobre a mãe que jogou o bebe e fico me perguntando o por que de tudo isso, sabe, com tantas mulheres que dariam tudo para serem mães outras se desfazem desse privilégio de forma tao banal, mais um dia elas terão a retribuição seja fisicamente ou sentimentalmente.
    Amei o bloguinho sempre que der darei uma passadinha aki.
    Bjinho boa semana.

  3. Veronica Says:

    Vim retribuir a visita. Seu filho é um fofo.

    Também li a matéria e fico me perguntando o que está acontecendo neste mundo! Os advogados costumam apelar para problemas psicológicos. Para mim é problema ” no coração e na razão”. Ninguém com Deus no coração faria algo monstruoso a quem quer que fosse, muito menos a uma mãe e à um filho!

    Bjs

  4. mayara Says:

    Hoje em dia omundo esta acabando cada vez mais ….
    vcs ja leram o apocalipse….. sim fala q o mundo vai acabando aos poucos e q devemos procurar nosso salvador JESUS….
    ele nos ama e nuam quer q a genta faça dana de mal…. principalmente matr pai ou filhos….
    entaum vamos entragar noss vida a JESUS pq o inimigo e sujo…
    e quer o noss mal…..

  5. Amélia Maria Paulino Says:

    O que acontece com as familias é que estão se afastando de Deus. A violência predomina os lares, como: a bebida, as drogas, isto tudo pela falta de estrutura familiar do ser humano. A televisão toma o lugar de todos, pois neste horário em que poderiam estar dialogando, estão assistindo cenas de violencia de todos os sentidos.
    Os jovens perderam a noção de dignidade em familia, só pensando no ficar bem, cuca fresca mano! Estão se destruindo, nossa juventude não é mais igual a das décadas de 70, 80 ou mesmo de 90.
    Precisamos repensar e mostrar a eles que nós seremos o que plantamos, o fruto poderá não ser de boa qualidade se a planta não for bem preparada. Amélia

  6. nivailma Says:

    não consigo entender, enquanto eu que sou mãe assim como outras ficamos pedindo a Deus para não deixar nada de errado acontecer com nosos filhos , pessoas matam seus´proprios filhos . é um absurdo, fico me perguntando como alguem pode tirar a vida de um ser tão inoscente ?meu Deus ilumina esse planeta com muita paz e amor . PORQUE EU JA ESTOU FICANDO PARANOICA . isso não dar pra engolir . TALVEZ SE A JUSTIÇA PUNISSE COM MAIS RIGOR ESSES PAIS E FILHOS ASSASINOS , ISSO PODESSE MELHORAR.

  7. NEM SEI O QUE DIZER QUEM FAZ ESSA BARBARIDADE ENTRE OS DOIS CASOS. Says:

    ESSES COSOS E MUITO TTRAGICOS,ESSAS PESSOAS PRECISAM DE DEUS.NAO ENTRA NO MEU INTERIOR UM PAI MATAR O SEU PROPRIO FILHO.DESEJO QUE ESSAS PESSOAS TENHA O SENHOR JESUS.

  8. houssam Says:

    ola , tudo bem, olha e muito bom agente aponta o problema , mas seria melhor reorver-lo ne? para isso precisamos de varios passos : 1-concentracao na educacao em todos os meios q existem no brasil .comecando pela propria pessoa q vai foramar uma familia.2-acabar com desemprego.3 -acabar com trafico de droga e outros tipos q levam a sociedade para falencia moral.4- respeitar as leis e criar leis bem regorosas.5- criar escolas de reabilitacao ;familiar , religiosa, ect.encentivando a etica e moralidade, honestidade,honra,e dignidade. assim consiguimos ajudar limpar a nossa sociedade.um grande abraco.

  9. jefferson Says:

    infelizmente isso é inevitavel….

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: