Meus rapazes, meus amores, meus presentes!

Simplesmente maravilhoso. Assim eu posso me referir aos últimos três dias, período que inclui o dia em que completei meus 25 aninhos (6). A partir da iniciativa do meu marido, reservamos um Hotel Fazenda pouco distante de Brasília. Fomos então após o almoço de sexta-feira passada. As malas eram muitas. Na verdade, eu já mudei os hábitos antigos quanto a minha pessoa. A minha mala (mochila) era minúscula, contendo, apenas, o necessário. Muito diferente das que carregava quando fazia os cursos e retiros da Igreja. A mochila do marido, um pouco maior. Já em função do Pedro, o Alê precisou carregar, além das nossas, duas malas e uma bolsa de mão, além de cobertor, travesseiro e alguns brinquedos, como a bola para a piscina e um caminhãozinho. Afinal, eu tinha que pensar em tudo. Se não tivesse separado um detergente e a escovinha de lavar as mamadeiras do Pedro, eu teria passado sufoco. Isso porque cada mamadeira serve para um tipo de líquido: o copo de treinamento para água, a mamadeira grande para o iogurte e a outra menor para o suco. Portanto, super importante! (rsrsrs) Como estava dizendo (ops, escrevendo), pegamos estrada por volta das 15h. Uma hora de estrada e já havíamos chegado ao local. O nome faz jus ao que realmente é: uma fazenda. Muitos animais, muito verde e uma vista linda: um lugar bem apropriado para curtir meus rapazes: o maridão e o filhinho amado. “Além do horizonte existe um lugar bonito e tranqüilo pra gente se amar”… “Se vocês não vêm comigo, nada disso tem valor, de que vale o paraíso sem amor”. A música “Além do Horizonte” de Roberto Carlos, recentemente interpretada por Jota Quest, descreve perfeitamente o que vivemos lá.

O Pedro é uma criança incrível. Uma das coisas que eu e o Alê temos percebido quanto ao Pedro são as diversas formas que ele se utiliza de demonstrar o que sente. Ele ficou, realmente, encantado pelo local. Ele queria ir pro chão, correr, ver tudo, conhecer a natureza. Ele corria, sorria, gritava por mim e pelo Alê,  pegava folhas no chão e até as colocava na boca. As luminárias espalhadas pela fazenda e feitas de barro, todas com furinhos de estrelas, luas, círculos, bichinhos, refletiam desenhos no chão. Como podia aquilo?! Acredito que ele se perguntava… Os olhinhos brilhavam… Os sorrisos dobravam em gargalhadas – aquelas que nós, adultos, amamos ouvir. Decidimos, então, conhecer o local. Localizadas bem abaixo da fazenda, ficavam as piscinas naturais. Lá havia muito verde, um extenso gramado e árvores espalhadas por todo lado. Deixamos, mais uma vez, o Pedro solto no chão. Ele corria ao ponto de não conseguirmos alcançá-lo. E apontava para tudo que queria mostrar, como se não entendesse porque nós não estávamos tão felizes (eufóricos) como ele. Ao retornarmos para o quarto, ele, que estava no colo do Alê, o beijou por todo caminho, como se cada beijo estalado fosse o agradecimento, ou mesmo a recompensa, por estar ali. Não há nada que me deixe mais feliz do que ver meu filho feliz. Para mim, já havia valido a pena. Mas não pára por aí. Fomos para o apartamento para trocar de roupas, afinal, a noite já caía e o frio vinha junto com o luar. Mais um momento de euforia. O Pedro acabara de conhecer uma fogueira e seu calor confortante. Acho que o levei para vê-la umas 20 vezes durante a noite. Ele também a nomeou de “ptéptépté”. Ainda conhecemos naquela noite os casais Kênia e Oswaldo e Lidiane e Fábio. É claro que o Pedro ganhou as moças mandando beijos, e, seus companheiros, com o gesto de amizade: o dedo indicando “beleza”.  Eles foram nossas companhias durante os três dias. Pessoas muito legais, por sinal. Bem… a noite acabou quando o Pedro chegou a exaustão.

“Lá neste lugar o amanhecer é lindo, com flores festejando mais um dia que vem vindo”…  No dia seguinte a novidade era os animais da fazenda. Cavalos, porcos, galinhas, patinhos, jabutis, coelhinhos, cabras, vacas e muitos outros deixaram o Pedro estático. Era novidade demais pra um único momento. Ele olhava com olhos de quem não queria perder nada daquilo e entender o que cada bicho daquele representava. Logo após os instantes de paralisação absoluta, ele passou a apontar os animais mostrando-os um a um. E não deu outra. Já saiu dali mostrando que as vaquinhas fazem Múúú e as cabrinhas Méééé. Fantástico para mim e pro Alê. Outra alegria do dia foi a piscina aquecida e coberta. Levamos conosco a bola e a mais nova descoberta: a fralda para mar e piscina (excelente para quem tem bebês). Imaginem o Pedro em uma piscina aquecida?! Ele já havia estado em outras piscinas, inclusive em Caldas Novas… Mas, agora, ele já é bem grandinho e entende das coisas. Era muito legal poder entrar em uma “banheira” grande com o papai e a mamãe ao mesmo tempo! A reação de felicidade, mais uma vez, nos surpreendeu. Novamente gritos, gargalhadas e os pezinhos batendo na água. A bola, que podia ser jogada na água, nossa… era muito mais legal que os sapinhos que ele tem na banheira lá de casa. Além disso, o parquinho com balanço, jogar bola em um extenso gramado e todas as demais atrações que faziam parte do local viraram as brincadeiras do dia. Até dormir na rede com o papai foi uma experiência muito gostosa. Tudo isso nos deixou muito felizes. Esses momentos recompensam todas as dificuldades de ser pai e mãe e preenchem nossos corações. (Falando nisso… hoje saiu uma notícia no G1 com o título: “Sorriso de bebê tem efeito de droga na mãe, sugere pesquisa”… segue um trecho da matéria – Um estudo conduzido por pesquisadores americanos sugere que o sorriso de um bebê pode provocar na mãe uma reação de prazer semelhante a que se obtém com o uso de drogas. Os especialistas afirmam que o estudo, divulgado na publicação científica Pediatrics, pode explicar a forte ligação entre mães e filhos. – Bem, só pode ser verdade, qual mãe não sente isso?…)
Voltando… O meu aniversário foi um detalhe diante de tudo que vivemos. A alegria do Pedro foi meu maior presente. A companhia do maridão foi, mais uma vez, indispensável pra minha completa felicidade. Aliás, o que seria de mim sem seu amor e presença na minha vida?! O Alê é, como sempre falo, a realização dos planos de Deus em minha vida. Marido único do qual eu me orgulho muito. O fim de semana terminou com a Santa Missa. Afinal, o Senhor é quem me proporciona todos esses momentos. Obrigada Jesus! Agora, com 25 aninhos, retorno ao meu dia-a-dia, um pouco mais feliz por saber que tenho a família mais linda do mundo. FIM!

Anúncios

Tags: , , , , , , ,

3 Respostas to “Meus rapazes, meus amores, meus presentes!”

  1. Elton Pacheco Says:

    Ah, então era por isso que você passou a semana passada INTEIRA, INTEIRA, cantando essa música. Sei!

    ahahah
    Acho linda essas histórias…

  2. nelma Says:

    é suzana, esqueça viagens com 2 mochilas de costas, agora no carro ñ cabe mais ninuém além de vc seu marido e seu filho e as malasssssss
    kkkkk pelo menos quando eu viajo é assim meu marido , eu as crianças e as malasssssssssssskkk
    mais é muito gostoso
    bjssss

  3. karen Says:

    Obrigado por visitar o nosso espaço, eu ainda estou terminando de montar, fiz anotações durante a gravidez para depois por no blog para quem ainda não é mãe saber a maravilha que é gerar um novo ser, so que estou trabalhando muito e o tempo que tenho livre e para meu marido e para o Nicolas, ai estou meia sem tempo de terminar, mas obrigada pela visita e seu bebê e muito lindo!!!

    beijokas!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: