Uma homenagem ao meu pai…

Ontem eu ouvi uma frase no CD do Pe. Fábio de Melo que resumiu aquilo que meu pai é pra mim: “Meu pai, com o seu jeito finito de ser Deus, revela-me Deus, com seu jeito infinito de ser Pai”. Portanto, resolvi escrever um post sobre ele.

Ainda neste mês, meu pai será apresentado à Igreja de Brasília como candidato ao Diaconato Permanente. É a chamada “Admissão às Ordens Sagradas”. Este é o primeiro passo para que no próximo ano, se assim for a vontade de Deus, seja ordenado Diácono.

Então… Este é meu pai, Paulo Cezar de Moura Leite, que há uns 20 e poucos anos, levantava o cobertor para mim, quando eu fugia da minha cama e ia pra cama dos meus pais para dormir o resto da noite com eles. Ali, naquele gesto mais simples do cotidiano, ele já mostrava que, no futuro, ele estaria a me acolher e me proteger nos mais diversos momentos de minha vida. E, sem saber, ele já me acolhia como Deus que é Pai.

Este mesmo Paulo, um dia foi chamado por Cristo tal qual Paulo de Tarso. Numa conversão totalmente radical, ele viu endireitou seus caminhos com os do Senhor e, em pouquíssimo tempo, percebeu que não dava mais pra voltar porque o barco estava em alto mar. Este Paulo, meu pai, que se confunde com o Apóstolo, na história e no agir, viu, desesperadamente, que não podia guardar aquele Cristo que o chamou em Damasco só pra ele e deveria anunciá-lo em todos os cantos do mundo, imediatamente.

Foi assim que este Paulo, meu pai, correu ao meu encontro, como André correu ao encontro de Pedro para apresentar-lhe Jesus. Este Cristo foi me apresentado por Ele. Dali, anos de cumplicidade e de servir foram se passando, eu e ele, unidos no mesmo propósito: evangelizar.

Este Paulo não deixou de ser pai. E com sua voz grossa e firme, muitas vezes, se pôs a me corrigir. Radical, como o de Tarso. Duras correções, mas necessárias. O Pai que está no céu também nos corrige a todo momento. E quem ama, educa. Ali também tinha amor. Hoje, como mãe, entendo sua maneira de tentar me proteger do mundo e me mostrar que eu não precisava passar pela dor para entender que as coisas eram erradas. Era atitude de pai. Acredito que Deus, mesmo respeitando nosso livre arbítrio, também nos protege das ciladas do inimigo.

Meu pai, Paulo, como o de Tarso, também tem um coração que bate escondido atrás de uma casca que, às vezes, o encobre. Talvez este coração seja o seu espinho na carne, que o faz sofrer como humano que é. Este Paulo sofreu comigo a dor da separação daqueles que, um dia, juraram “amor eterno”. Os irmãos de comunidade também são humanos, e, como nós, erram. Aquela separação, como a separação do Paulo de Tarso de seu companheiro Barnabé, também era reflexo da vontade de Deus. Evangelizar significava ir além. E Deus assim fez. Mais uma vez, naquele pai, pai que sofria, eu via Deus.

Este mesmo Paulo/Pai, percebeu que, ao me ver crescer, logo um rapaz acabaria por me pedir em casamento. Aquela separação também era sofrida. Mas, quantas vezes nós rezamos juntos por um bom “José”? Ele então, um dia, teria que dar minha mão em casamento, mesmo que eu, sua filhinha, ainda fosse. Este dia chegou e o Paulo, meu Pai, estava lá a adentrar comigo, na Igreja São Paulo, para me entregar ao meu futuro esposo. Aquela era a mesma Igreja que, durante anos, entramos juntos para servir, participar de missas, adorações, cursos e tantas coisas mais. Até ali Deus se mostrou presente: o homem a quem meu pai entregaria minha mão era aquele jovem Alexandre que por anos meu pai orientou e mostrou os caminhos de Jesus.

E não pára por aí. O Paulo Cezar, meu pai, deixou de ser apenas pai. E, um dia, pego de surpresa, ganhou dois sapatinhos de crochê de presente. Foi preciso alguns minutos para entender que, dali a nove meses, ele passaria a ser avô. Este Paulo seria avô de um Pedro. Talvez uma forma de voltar ao passado e unir os maiores apóstolos da Igreja: Pedro e Paulo. As colunas da Igreja. Com um abraço apertado de Pai, dividi com ele aquela alegria.

Então, hoje mulher, mãe, esposa e jornalista, não deixei de ser filha e ver naquele pai, Deus. Claro, na sua forma finita de ser Deus. Mas, nele, enxergo Deus.  Porque aquele que tem Cristo consigo só pode refletir Cristo.

Paizinho… agora não mais o Paulo parecido com o de Tarso, mas somente meu pai, esta é uma forma de dizer que eu te amo e o quanto você foi e é importante para mim. Que Deus te abençoe neste novo caminho do Diaconato. Muitos são chamados, mas poucos os escolhidos. E, se és fiel no pouco, ele te confiará mais. Foste fiel no pouco e atendeste o chamado de Deus. É o Pai, que está no céu, precisando de você. Como eu, filha, sempre precisei de você, meu pai.

Te amamos: Suzy, Alê e Pedro

Tags: , , , , , , ,

10 Respostas to “Uma homenagem ao meu pai…”

  1. Paizinho Says:

    …LAGRIMAS…

    mas a foto podia ser sem bigode. Depois te mando uma…
    Te amo.

  2. Monalisa Says:

    Que linda homenagem ao seu pai!
    Beijos!

  3. Samantha Says:

    Lágrimas aqui também…
    Tive que parar de ler 3 vezes para não dar vexame no trabalho, respirava fundo, me controlava e voltava para continuar a ler.
    Liiiinda homenagem!!!! Fiz uma homenagem no dia dos pais para o meu marido, já que meu papai já está do outro lado da vida. Talvez por isso, minhas lágrimas sejam mais intensas… pois tem dor nelas. O vídeo que fiz para o meu marido, marcou pra mim, há 10 anos que eu não sentia nenhuma emoção no dia dos pais e marcou para ele, que conseguiu ver a benção de Deus que é ser pai.
    Pena que é grande e não dá para mandar por e-mail pra você ver.
    Beijo e parabéns por saber reconhecer o amor nas pessoas!
    Samantha

  4. Tina Says:

    Filha, ver vc falando assim do seu pai me deixa muito envaidecida.
    Seu pai sempre foi muito especial, sempre tive muito repeito por ele.
    Sempre foi um paizão, estando sempre presente, mesmo estando separados.
    Um excelente ex- marido, um amigo sem igual, sempre que preciso, lá está uma mão estendida.
    Foi muito bom o tempo em que estivemos juntos, pois tivemos três lindas filhas.
    Que Deus te abençoe sempre…

  5. Dany Says:

    Emocionante! Graças ao meu bom Deus pude conhecer essa pessoa maravilhosa que você descreve. E graças a Ele também posso me sentir um pouco filha dessa pessoa tão maravilhosa, que mesmo na minha maior ausência, sei que está lembrando de mim, da minha filhota e do meu esposo. Graças a Deus somos irmãs em Cristo e filhas (eu postiça) desse ser maravilhoso!
    Amo vocês…
    Bjo grande
    Dany

  6. renataleite Says:

    Esse é meu pai!!! Falou tudo, fiquei sem palavras. Só posso agradecer todos os dias a Deus a família maravilhosa que ele me deu! Antes éramos só filhas, agora, também somos mães e podemos entender um pouco desse sentimento grandioso que é ter um filho, aliás, já tenho dois. Falo que podemos entender um pouco, pois nos surpreendemos a cada dia com sentimentos diferentes. Emoção, medo, alegria, orgulho… E tantos mais… Vocês são muito importantes na minha vida. Cada um a sua maneira: a mamãe, se desdobrando em 1000 para nos ajudar, o papai, na sua eterna correria, sempre fazendo de tudo para não parecer ausente. A Nana, também sempre correndo, mas presente em todas as ocasiões e você, irmã desnaturada que tanto amo… Hehe, preciso ver mais. Sinto muito a sua falta e a do meu Pedro Pimus. Amo vocês. Obrigada Pai pela minha família!!! Beijos, Rêh.

  7. Paizinho Says:

    Olha eu aqui de novo. Agora com as lágrimas contidas. Quando o Padre Zezinho compôs a música Oração da Família, não sei se intencionalmente ou não, estava compondo o hino a ser ser cantado, em conjunto, em cada lar onde tiver um Pai, uma mão (vivos ou não) e filhos. “Abençoa Senhor as familhas amém. Abençoa Senhor a minha também. O Senhor disse a Abraão “Abençoarei aqueles que te abençoarem, e amaldiçoarei aqueles que te amaldiçoarem; todas as famílias da terra serão benditas em ti”. Hoje Ongs, governos, instituições e outros organismos visivelmente orientados em amaldiçoar as famílias legítimas e empenhados na destruição da instiruição familiar. Sem família não há sociedade, sem familia não ha Igreja. Quando citei um Pai, uma Mãe e filhos (ou pelo menos um) referia-me à Sagrada Família, aquela que o Senhor escolheu para estar sempre no meio dela. Hoje os lares, em sua maioria, prescindem da presentça santificante do Senhor permitindo que a “MODERNIDADE’ passe e a ser preceito e referência de convívio familiar e o “RELATIVISMO” seja a base da educação e do relacionamento social, quase sempre frio agressivo e desreipeitoso. Fruto, é lógico, da ausência dos valores do Evangelho que devem nortear o dia-a-dia do seio familiar com aquilo que é “ABSOLUTO” ou seja a única Verdade. Ultimamente, juntam-se dois seres humanso quaisquer em um contrato de convivência e já ab-rogam para sí o nivelamento de “FAMÍLIA”. As residências, cada vez mais confortáveis e individualizadas (cada quarto uma televisão, video, computador, etc). O almoço em família, nem pensar, não há tempo. As FAMILIAS transformam-se em apenas “ILHAS”. E a missa de domingo, roupa nova, cabelos bem penteados, familia junta entrando na igreja, “bença padre”, Deus te abençoe meu filho”. Isso é coisa do passado. Que pena… O sexo livre, a pornografia, as bebidas, as baladas, bafômetro, aborto, camisinha, metrosexual, concursos, ficar (o que é ficar?). Casamento? “isso não te pertence mais” . A pequena barca do pensamento de muitos cristãos, não raro, agitada por estas ondas, lançada dum extremo ao outro, do marxismo ao liberalismo, até ao ponto de chegar à libertinagem. do coletivismo ao individualismo radical. do ateísmo a um vago misticismo religioso;. do agnosticismo ao sincretismo e por aí adiante. Entretamto, sei que hoje, muitas familia ainda cantam juntas, como a minha, a Oração pelas família do Padre Zezinho, e que também pedem a benção e são abençoadas. Agradeço a Deus, a misericórdia de ter-me presenteado com 6 filhas e 4 netos tão especiais. Eu os amo, necessito de vocês e vocês sabem disso. Filho é tão bom que se eu pudesse teria mais de trinta (disse um dia meu velho pai, que Deus o tenha). Por isso digo todo a vocês todos os dias: O Senhor te abençoe e te guarde! O Senhor te mostre a sua face e conceda-te sua graça! O Senhor volva o seu rosto para ti e te dê a paz! “ABENÇOA SENHOR AS FAMÍLIAS, AMÉM. ABENÇOA SENHOR A MINHA TAMBÉM”.

  8. nelma Says:

    oi suzy, respirei fundo pra ñ chorar bem na recepção de onde trabalho..mais pra mim é uma senseção que nem sei explicar quando escuto ou leio algo sobre pai..pois perdi o meu faz 5 anos e é horrivel…ele ñ chegou a conhecer seus netos e nem tão pouco me entregar ao meu esposo no altar no dia do casamento..ufa fico dem palavras…!MEU PAI TE AMO PRA SEMPRE!!!bjssss

  9. Gisa Says:

    Laaaaaaaaaaggrrriiiiiimmmmasssssssssss!!!

    Nossa, que coisa mais linda!

    Estava a proucurar algumas frases para homenagear meus pais no dia amis feliz da minha vida, meu casamento, e não pude conter as lagrimas depois de uma homenagem tão linda como essa. Que o Senhor Jesus continue a abençoar essa família linda e que o ministério do seu papai seja abençoadíssimo na presença do Senhor!

    Meus parabéns pelo amor de Cristo em vcs e pelo amor declarado ao seu pai.

    Grande Abraço

    Gisa

  10. Clara Says:

    Nooooossssssaaaaaaa!
    Parabéns, Paulão. Você é muito abençoado por Deus, até por ter uma filhota (e sei que as outras também) reconhecem o paizão que têm.
    Sou feliz por tê-lo como amigo.
    Clarinha

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: