Archive for abril \20\UTC 2009

Findi cheio de emoções…

abril 20, 2009

O fim de semana foi cheio de emoções e compromissos importantes. Sábado à tarde tivemos o aniversário de quatro aninhos da Brisa – filha da minha amiga Fabi. Estava tudo lindo, a Brisa estava uma bonequinha, Pedro dançou todas as músicas… pena que não pudemos ficar para os parabéns. Isso porque tivemos que correr pro casamento da Gisele (Gigi), amiga da Evangelização. Bem… o casamento da Gigi é uma prova concreta de que Deus tudo pode em nossas vidas. Ela sofreu por muitos anos até achar o “José” certo e merece muito ser feliz. Ela estava linda, o casamento foi muito belo, fiquei muito feliz por ela. O domingão foi marcado pela vitória do Flamengo (somos campeões novamente)… Além disso, papai recebeu ontem o Admissio (Admissão às Ordens Sagradas) e o ministério do Leitorato – importantes passos rumo ao Diaconato Permanente. Muita emoção pra este coraçãozinho. A celebração foi realizada pelo Arcebispo de Brasília, Dom João Braz de Aviz, em São Sebastião. A missa foi muito bela, meu paizinho estava muito lindo de túnica… Se não me engano, em agosto ele receberá o acolitato (outro ministério) e, em dezembro, a ordenação diaconal. Daí, sim! Segura coração!!! Ahhhh… agora falando do Pedro. Ele já ta craque no assunto “peniquinho”. O fato é que ele quer ter privacidade no banheiro, acreditam?! É só deixar ele lá e dar as costas que o xixi e o “nº 2” aparecem! Daí é só fazer a dançinha do xixi que tudo vira festa!!!

Anúncios

Indignação: hospitais particulares cancelam pediatria na emergência

abril 14, 2009

Hoje, li, estarrecida, uma notícia no site do Correio Braziliense – um dos maiores jornais de Brasília. A matéria trazia o seguinte título: Hospitais privados no DF deixam de oferecer pediatria nas emergências. Por ser mãe e depender, em diversas situações, das emergências pediátricas, resolvi procurar saber do que se tratava: dois grandes hospitais do DF (Hospital Brasília e Prontonorte) decidiram acabar com as emergências pediátricas em seus pronto-socorros. O motivo seria os baixos honorários recebidos pelos pediatras. “Nas consultas por planos de saúde, o repasse para os médicos é de cerca de R$ 40”, explica a matéria. O texto ressalta, ainda, que a falta de atendimento infantil especializado nestes hospitais tem superlotado outros pronto-socorros como o Santa Luzia e o Santa Lúcia, por exemplo. E que a média de atendimento nestes locais tem sido, em média, de três horas.

Confesso que o fato me preocupa seriamente e por vários motivos. Além do tempo gasto para consultar uma criança, temo pela qualidade do atendimento realizado pelos profissionais. Quanto maior a quantidade de crianças, mais rápidas terão de ser as consultas. E o diagnóstico correto? E a saúde dos nossos filhos a quem serão entregues? Sem contar na exaustão dos médicos com toda essa situação. Além do mais, a quem cobraremos a fortuna de dinheiro que deixamos mensalmente nos “cofres” dos planos de saúde?

É de indignar. Já não bastava nosso país nos cobrar uma fortuna de INSS e nos devolver com o pior serviço de saúde possível, agora os nossos planos – que custam o olho da cara – nos atendem com qualidade. Isso já é uma realidade para mim. Lá em casa, todos nós temos o convênio subsidiado pela minha empresa e, mesmo assim, ainda são descontados quase R$ 600 por mês do meu salário, em função do plano. Mas, para levar meu filho a um bom pediatra, com experiência, pago pela consulta particular. E lá se vão mais R$ 150 por cada ida ao consultório!

Ah… a matéria ainda revela que “os recém-formados preferem se especializar em outras áreas mais rentáveis e que exigem menos dedicação”. Um absurdo! Quem vai cuidar da saúde dos pequenos?! Além disso, se a saúde das crianças não é bem acompanhada, teremos adultos doentes em breve!

Já passou da hora dos planos aumentarem os honorários dos pediatras e nos dar um serviço melhor. E não somente isso, mas diminuir o montante de burocracias na hora de fazer um exame, aprovar, com mais rapidez e eficiência as internações, entre tantos outros problemas que encontramos ao usar esse tipo de serviço.

Fica aqui toda minha indignação com essa história.

Na hora de sermos pais, pagamos a língua mesmo!

abril 7, 2009

Antes de nos tornarmos pais, sempre julgamos as atitudes daqueles que já têm filhos, e acabamos por montar uma lista de coisas que faremos e outra do que não faremos quando estivermos na mesma situação. Pura balela! Impossível programar como agir em determinadas situações quando o assunto é filho. Além disso, pagamos a língua dos nossos julgamentos, e acabamos por cometer os mesmos atos e até erros daqueles que eram os nossos réus.

Enquanto eu não era mãe, me julgava a tia mais cheia de virtudes. E, pretensiosamente, achava que não faria nada de errado com os meus filhos, uma vez que eu já era tia de dois sobrinhos e tinha três irmãs pequenas – experiência suficiente para definir o que eu faria quando me tornasse mãe. A minha lista era, mais ou menos, assim:

(more…)

Feira da Gestante, Bebê e Criança em Brasília

abril 2, 2009

Para as mamães que querem aproveitar a Feira da Gestante, Bebê e Criança, agendem-se! A Feira será realizada em Brasília, de 14 a 19 de abril, no Pavilhão de Exposições – Parque da Cidade. De terça a sexta-feira, o horário de funcionamento será das 14h às 22h. No sábado, a Feira abre das 10h às 22h. Já no domingo, o tempo para as compras diminui: das 10h às 20h. Para as gestantes, a Feira é uma ótima opção para fazer o enxoval. Já as mamães que tem bebês maiores, vale dar uma olhadinha pra comprar novidades que não se encontram no DF. Ah… é bom não perder a oportunidade, já que a Feira só é realizada duas vezes por ano em Brasília.

Tirar a fralda: uma tarefa difícil

abril 1, 2009

Começamos a saga para tirar a fralda do Pedro. Afinal, agora ele já é um rapaz e, com isso, já chegou a hora de dar saltos em seu desenvolvimento. Ontem comprei uma porção de cuequinhas porque sei que elas serão “molhadas” diversas vezes. Pelo que li e pelo que conversei com amigas que têm filhos pequenos, essa não é uma faze fácil. A adaptação não é rápida e depende de muita paciência. Além disso, eu venho de uma família de mulheres. Só tenho irmãs e isso dificulta. Não sei, por exemplo, se o menino começa a fazer xixi de pé ou sentado. (rsrsrsrs) Isso mesmo. Tenho muitas dúvidas. Mas vamos lá! Aprendi a ser mãe errando e acertando. Esse será o meu mais novo aprendizado. Depois conto como está sendo a nova adaptação.

Ah… seguem 10 dicas super bacanas que eu li na revista Crescer para começar a tirar as fraldas, a chupeta e a mamadeira:

(more…)